Plano de austeridade tornará dívida grega sustentável

O presidente do grupo de ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo), Jean-Claude Juncker, afirmou hoje que o plano de austeridade da Grécia que será votado na próxima semana, se executado em todos os aspectos, tornará a dívida grega sustentável.

AE, Agencia Estado

26 de junho de 2011 | 14h35

Juncker pediu que a oposição da Grécia apoie o pacote, que inclui 28 milhões de euros de medidas de austeridade e um programa de privatização de 50 bilhões de euros. Ele acrescentou que está confiante de que o parlamento grego aprovará o plano.

"É surpreendente ver que nós colocamos nossos meios financeiros em risco, enquanto na Grécia as duas principais forças políticas não conseguem acordar em uma mínima coesão nacional", afirmou ele em uma entrevista à emissora de televisão francesa TV5.

Juncker disse ainda que o Estado grego deve melhorar o modo como sua administração funciona e que os mais ricos não estão contribuindo o suficiente para os esforços do país. Ele afirmou que todas as soluções propostas à crise da dívida soberana da Grécia requerem mais integração.

O presidente do Eurogrupo informou que está a favor da criação de um ministro de Finanças comum e de títulos europeus apoiados pelos Estados-membros da zona do euro.

A França não está ameaçada pela atual crise, de acordo com Juncker. Ele também afirmou que seria bom ter uma agência europeia de classificação de risco, mas não especificou quem a financiaria. Uma agência europeia classificaria a dívida grega da mesma forma que as atuais agências, acrescentou Juncker. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciadívidaEurogrupoJuncker

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.