Plano de investimentos só se confirmou para 30% das empresas

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou hoje um estudo em que aponta que apenas 30% das empresas brasileiras realizaram integralmente os investimentos planejados para o primeiro semestre de 2005. De acordo com a CNI, o desaquecimento da atividade econômica e a apreciação do real foram as principais razões disso. Em relação a 2006, a CNI disse que as perspectivas são "modestas". De acordo com o estudo feito pela entidade, houve também uma redução dos investimentos das empresas, no sentido de aumentar exportações. A CNI também diz que a capacidade produtiva não é restrição ao crescimento econômico no curto prazo. "A ociosidade esperada, no entanto, reflete mais a perda de intensidade do crescimento econômico do que a expansão dos investimentos de 2005", afirma o estudo. A frustração com os investimentos foi maior nas indústrias de couros e peles; vestuário e calçados; e madeira e mobiliário. "Nesses setores, houve menos de 20% de assinalações para investimentos realizados integralmente", constata a CNI.

Agencia Estado,

04 Novembro 2005 | 14h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.