Plano de Safra terá R$ 107,2 bilhões em recursos

Este é o valor destinado à agricultura empresarial. Novidades são linhas de financiamento para cana, pecuária e citricultura

Anne Warth e Gustavo Porto, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2011 | 00h00

Linhas de financiamento para a citricultura, pecuária e cana-de-açúcar foram as novidades do Plano Agrícola e Pecuário anunciadas na sexta-feira, em Ribeirão Preto (SP), pelo ministro da Agricultura, Wagner Rossi.

No total, o governo vai liberar R$ 107,2 bilhões em financiamentos, a partir de 1.º de julho, quando se inicia oficialmente a safra 2011/2012. Este valor é 7,2% maior que os R$ 100 bilhões destinados em 2010/2011 e deve garantir uma produção de 169,5 milhões de toneladas de grãos. Com os R$ 16 bilhões da agricultura familiar, o total de recursos vai para R$ 123,2 bilhões.

Na visão de Rossi, os R$ 300 milhões disponibilizados para a indústria de suco de laranja adquirir a fruta para estocar o suco "minimizam o relacionamento conflituoso entre a indústria e citricultores".

Na cana, a linha de financiamento é para renovação de canaviais, na proporção de R$ 1 milhão por safra, para renovar 20% dos canaviais.

Na pecuária, o financiamento vai para retenção de matrizes bovinas e, principalmente, a renovação de pastagens, o que deve aumentar a produtividade. "Queremos sair de 1,2 cabeça por hectare para até 3 cabeças por hectare em dez anos. Isso muda o patamar do plantel e libera terra para a agricultura." Por fim, Rossi destacou a ampliação da linha de financiamento para o médio produtor, para até R$ 700 mil. "Queremos que o produtor médio tenha acesso aos meios para ser grande produtor", disse.

PRINCIPAIS PONTOS

Agricultura empresarial

Recursos serão de R$ 107,2 bilhões nesta safra.

Programa ABC

Governo mantém programa de Agricultura de Baixo Carbono, que agora incorpora o Produsa e o Propflora e terá R$ 3,15 bilhões em recursos.

Comercialização

Para apoio à comercialização o governo disponibilizou R$ 5,2 bilhões para aquisições diretas e equalização de preços.

Preços mínimos

Com exceção do milho e do feijão, os preços mínimos das demais commodities foram mantidos. Produtos regionais, no entanto, como juta, malva e mamona, foram reajustados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.