Evaristo Sa/AFP
Evaristo Sa/AFP

Plano de incentivo à aposentadoria no BB tem 9,4 mil adesões

Em 2016, as despesas não recorrentes com o pagamento dos incentivos serão de R$ 1,4 bilhão; a redução da despesa de pessoal em 2017 chegará a R$ 2,3 bilhões

Marcelle Gutierrez e Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2016 | 10h33
Atualizado 12 de dezembro de 2016 | 19h40

SÃO PAULO - O Banco do Brasil divulgou o resultado do Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada (PEAI), que foi encerrado na última sexta-feira, 9, com 9.409 adesões. O público potencial que poderia aderir ao programa era de 18 mil pessoas.

Em 2016, as despesas não recorrentes com o pagamento dos incentivos serão de R$ 1,4 bilhão. Já em 2017, a redução da despesa de pessoal chegará a R$ 2,3 bilhões.

No dia 21 de novembro, o banco anunciou medidas de reestruturação, como fechamento de agências, ampliação do atendimento digital e redução de jornada de trabalho.

Por meio do plano, o banco concedeu incentivo de desligamento correspondente ao valor de 12 salários, além de indenização pelo tempo de serviço, que varia de um a três salários, a depender do tempo de banco (entre 15 e 30 anos completos). Para aderir era preciso já estar aposentado pela Previdência Social ou ter 50 anos de idade e, no mínimo, 15 anos de trabalho no banco.

No dia 2 de dezembro, o presidente da instituição, Paulo Rogério Caffarelli, disse que o BB não considera fazer outro programa de incentivo à aposentadoria além do atual.

(Com informações da Agência Brasil)

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULOBanco do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.