Plano Safra será voltado para ampliação da agricultura

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu-se nesta tarde com ministros e técnicos para discutir caminhos para aumentar a produção agrícola no País. Segundo assessores do presidente, a intenção é que o Plano Safra, a ser lançado em meados de junho, "tenha bem presente a filosofia de que o Brasil está voltado para ampliar a agricultura". Na reunião, que durou mais de duas horas, houve um consenso na tese de que há um "vazio" no mundo diante da demanda crescente por alimentos e que o Brasil deve buscar os meios para ocupar este espaço. As condições naturais, ambientais e climáticas favorecem o País, lembraram os participantes, o que permite a diversidade de culturas. Um dos caminhos para o incremento da agricultura deverá ser a ampliação das linhas de crédito para compra de equipamentos agrícolas, mas as propostas ainda estão em elaboração por diversos ministérios. Segundo assessores do presidente, as estratégias para ampliação da produção agrícola devem estar voltadas não apenas para o mercado externo, mas também interno. Na avaliação dos participantes, o aumento de preço dos alimentos que provocou alta da inflação dificilmente vai recuar e será preciso lidar com a nova realidade. Um assessor comparou com a alta do petróleo: "Alcançamos outro patamar. Mesmo que o preço caia um pouco, não volta ao que era antes". As próximas reuniões para discutir o aumento da produção agrícola serão técnicas e é possível que uma segunda reunião com o presidente Lula seja realizada para fechar os detalhes do Plano Safra, às vésperas do lançamento oficial. Participaram da reunião com o presidente os ministros Guido Mantega (Fazenda), Dilma Rousseff (Casa Civil), Reinhold Stephanes (Agricultura) e Guilherme Cassel (Desenvolvimento Agrário), além do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, e de técnicos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.