'Planos de ida aos EUA cancelados'

Passagem para Nova York duplica de valor

/A.C.P., O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2013 | 02h17

Para a estudante Ana Elisa Pinho, o Natal seria a oportunidade de reunir a família, já que, no restante do ano, cada um está num canto: ela mora com o irmão em São Paulo, a irmã mora em Nova York e a mãe, em Houston, Texas. No entanto, a alta do câmbio e seu impacto nos preços das passagens podem minar seus planos de repetir as viagens que fez ao exterior há alguns meses.

Ana havia planejado passar o Natal em Houston e depois ficar uma semana em Nova York com a irmã, para curtir a neve e também fazer compras. A semana extra na Big Apple já está praticamente vetada, e o Natal em Houston, na corda bamba. As passagens para o Texas na época do Natal estão na faixa de R$ 5.600. Outra opção seria ir para Nova York e pegar um voo doméstico para Houston, mas só a primeira passagem está mais de R$ 4.500.

Em outubro, a estudante de 23 anos gastou R$ 1.300 para ir a Nova York, tendo comprado as passagens com pouco mais de um mês de antecedência. Em maio deste ano, Ana Elisa pagou R$ 2.600 no mesmo trajeto, tendo fechado a compra apenas duas semanas antes. "Já há o aumento normal da alta temporada, mas mesmo assim esse valor é surpreendente, ainda mais por ser uma rota tão frequente." Segundo dados da Anac de 2012, a rota São Paulo-Nova York tem em média 36 voos por semana.

Além da passagem, há os gastos durante viagem, encarecidos pela valorização do dólar. "Se eu fosse para Nova York, minha economia iria embora, pois é uma cidade cara. Mesmo já tendo hospedagem, com alimentação e passeios, é muito difícil gastar menos de US$ 60 por dia."

Ana conta que está olhando a internet todos os dias para ver se encontra alguma promoção. "Talvez terei de sacrificar a viagem, o que é ruim pois é o primeiro ano que minha mãe está morando fora", lamenta.

Ela comenta que os gastos além do planejado seriam menores caso ela quisesse fechar um pacote completo, uma vez que as agências negociam com fornecedores e amenizam o repasse nos preços. "É meio irônico que eu, que quero apenas a passagem, com gastos de hospedagem nulos, posso acabar pagando quase a mesma coisa ou mais de quem quer o pacote todo."

Planos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.