Divulgação
Divulgação

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Planos de saúde sofrem aumento de até 13,55%

Contratos firmados a partir de 1999 terão reajuste; mudança atinge aproximadamente 8,2 milhões de usuários

O Estado de S.Paulo, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2017 | 05h00
Atualizado 20 de maio de 2017 | 05h00

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou hoje um aumento de até 13,55% no índice de reajuste dos planos de saúde individuais e familiares, válido até abril de 2018.

O valor será aplicado para os planos contratados a partir de janeiro de 1999 e atinge aproximadamente 8,2 milhões de indivíduos. Isso representa 17,2% do total de 47,5 milhões de beneficiários no Brasil, de acordo com dados de abril de 2017. A informação foi publicada na edição desta sexta-feira do Diário Oficial.

Os consumidores devem ficar atentos e verificar se o percentual de reajuste aplicado pelo plano é igual ou inferior aos 13,55% definidos pela ANS e se a cobrança do novo valor está sendo feita a partir do mês de aniversário do contrato.

Planos de saúde perdem quase 1 milhão de beneficiários em 12 meses

O mês de abril teve queda no total de beneficiários de planos de saúde no Brasil, segundo dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). Ao final do mês, eram 47,5 milhões de pessoas no sistema privado, uma redução de 2% ante igual período do ano anterior. Nestes 12 meses, já são 962 mil contratos cancelados. O estudo considera que, sem geração de empregos, não há como esperar uma retomada do mercado. 

Tudo o que sabemos sobre:
EconomiaSaúdePlano de saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.