Plantel cresce, mas ainda é insuficiente

Atualmente, o rebanho brasileiro de ovinos é de 16,4 milhões de cabeças e um dos desafios, conforme o presidente da Arco, Paulo Afonso Schwab, é aumentar o plantel para elevar a oferta de carne e diminuir o índice de abate clandestino, que, segundo ele, ultrapassa a metade da produção nacional, que é de 80 mil toneladas de carne.

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2011 | 00h00

"O rebanho precisa aumentar, mas o setor também tem de se formalizar para garantir uma carne qualidade." Segundo dados do IBGE, o Nordeste detém a maior parte do rebanho ovino brasileiro - 56,4%; em seguida está o Sul, com 29,1%. O Sudeste ocupa a quarta posição, com 4,6% do rebanho nacional. O País detém, ainda, menos de 1% da produção mundial de carne ovina, com abate médio anual de 970 mil cabeças.

Consumo. De acordo com a Arco, o consumo de carne ovina no Brasil é de 400 gramas/habitante/ano. Para um consumo de 2,5 quilos/habitante/ano, seria necessário plantel de 50 milhões de animais. Para se ter ideia, em grandes países produtores, como Nova Zelândia, são consumidos 30 quilos/habitante/ano. "Existem no País, hoje, 28 raças adaptadas e a genética disponível aos criadores pode ser considerada de ponta", garante Schwab. Segundo ele, os criadores brasileiros já fazem, por exemplo, inseminação artificial, transferência de embriões e fertilização in vitro (FIV).

"O Brasil apresenta grande possibilidade de crescimento nesse segmento, assim como a Região Sudeste", acredita o zootecnista Márcio Armando Gomes de Oliveira, diretor técnico da Associação Paulista de Criadores de Ovinos (Aspaco). Segundo ele, o rebanho paulista atual é de 470 mil cabeças.

Em crescimento. "De 1985 para 2006, o plantel paulista aumentou 100%." A produção de carne de cordeiro no Estado de São Paulo, estima o ovinocultor Valdomiro Poliselli Júnior, cresceu 83% nos últimos três anos. "Uma das vantagens da atividade é o retorno em quilos de carne por hectare, em um relativamente curto espaço de tempo", justifica Poliselli Jr. "Em um mesmo hectare, pode-se produzir, por ano, em torno de 500 quilos de cordeiro", afirma o produtor. "De dois anos para cá, as churrascarias já aumentaram as vendas deste tipo de carne em 60%."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.