VOLL
VOLL

seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Plataforma VOLL, de gestão de transporte, atende 100 mil usuários

Em meio à pandemia, a empresa recebeu em maio seu primeiro aporte de R$ 4 milhões

Entrevista com

Jordana Souza, publicitária e cofundadora da VOLL

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2020 | 05h00

Criada em 2018, a plataforma de gestão de transporte corporativo VOLL já tem 200 clientes, entre os quais McDonald’s e Pepsico. Em meio à pandemia, recebeu em maio seu primeiro aporte de R$ 4 milhões, da Wayra (investidora da Telefônica) e da Iporanga (venture capital), e prevê crescimento de 45% no ano. A startup tem 30 funcionários.

Como a VOLL funciona?

É uma solução completa para a mobilidade, voltada à gestão do transporte corporativo em um único aplicativo. Temos parcerias com as empresas Uber, Cabify, Easy, Wappa, 99, e cooperativas de táxis. Todo o processo da viagem e o pagamento acontecem pelo App da VOLL.

Como é o serviço?

A empresa determina os serviços de transporte que seus funcionários podem usar e, ao acessar nosso App, indicamos o melhor custo benefício e a melhor opção para a viagem. A empresa pode segmentar o uso por cargo ou perfil do usuário. Garantimos todo tipo de compliance, menor valor e o menor tempo para o usuário. O serviço possibilita uma economia média de 30% para a empresa.

Quais as outras vantagens?

Hoje uma grande empresa não consegue ser 100% atendida pelo Uber ou pela 99, seja porque ela tem operação no Brasil inteiro ou em razão do método de pagamento. A Telefônica, que tem 20 mil usuários cadastrados na VOLL, não precisa fazer a gestão de duas, três ou quatro faturas, pois nós entregamos uma só, e garantimos sempre que a melhor opção seja escolhida.

Quantos clientes tem hoje?

Atendemos 200 empresas de médio e grande porte como PepsiCo, Heineken, Telefônica, Claro, Tim, McDonald’s, Vivo, Sodexo e Souza Cruz e mais de 100 mil usuários.

Como está a operação na pandemia?

No início caiu um pouco. Mas, como atendemos várias empresas que prestam serviços essenciais, começamos a crescer, também por causa das restrições do transporte público. Em agosto crescemos 38% comparado a agosto de 2019. Para o quarto trimestre projetamos aumento de 60% nas viagens, o que dará um crescimento no ano de 45%.

Tem novos serviços previstos?

No início da pandemia incluímos outras opções de mobilidade como fretamento e transporte público. Por exemplo, se o usuário está perto de uma estação de metrô apresentamos essa opção. Iniciamos serviço de entrega pelo Uber e Cabify e serviço de motoboy. Em breve teremos novas categorias de mobilidade.

Tudo o que sabemos sobre:
startupmobilidade urbana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.