PMI chinês de setembro sobe, mas ainda mostra contração

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) da China, medido pelo HSBC, subiu ligeiramente para 47,9 em setembro em comparação com a leitura preliminar de 47,8 e leitura final de 47,6 em agosto, permanecendo em território de contração pelo 11º mês consecutivo. O dado mostra que a segunda maior economia do mundo continua a desacelerar uma vez que um número abaixo de 50 ainda indica contração.

LUCIANA ANTONELLO XAVIER, Agencia Estado

29 de setembro de 2012 | 09h41

As novas encomendas de exportações caíram no ritmo mais rápido desde março de 2009, quando a economia global ainda estava se curando da crise financeira. A leitura das encomendas de exportações indica que a fraqueza econômica nos principais mercados exportadores como Estados Unidos e Europa continua a ter impacto na China. "Várias empresas revelaram que a demanda enfraqueceu entre os principais parceiros em meio a um ambiente econômico mais difícil", disse o HSBC.

O economista-chefe para China, Qu Hongbin, avaliou que o crescimento manufatureiro deve estar chegando no seu ponto mais baixo. "No entanto, a contração mais forte das encomendas de novas exportações e as pressões nos mercados de trabalho significam que Pequim deve continuar estimulando o crescimento e empregos", completou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaPMIcontração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.