PMI da China cai e aumenta chance de estímulos monetários

A economia da China sofreu quase o sétimo trimestre seguido de desaceleração do crescimento, com uma pesquisa do setor industrial privado revelando um declínio da atividade no ano e uma nova queda das exportações em setembro.

NICK EDWARDS, Reuters

30 de setembro de 2012 | 14h03

O Índice de Gerentes de Compra (PMI), do HSBC, mostrou que a atividade industrial caiu pelo 11º mês consecutivo em setembro, apesar do índice final, de 47,9, ter ficado ligeiramente acima do número preliminar, estimado e 47,8, e da leitura de agosto de 47,6.

É a maior sequência de leituras abaixo de 50 --que separa expansão de contração-- em uma série histórica de 8 anos da pesquisa, com a necessidade de políticas governamentais para mais crescimento sinalizadas por uma queda no sub-índice de receitas para o menor patamar desde março e uma queda das encomendas de exportação para o menor nível em 42 meses.

"A acentuada contração de novos pedidos de exportação e as pressões persistentes sobre os mercados de trabalho, apontam que Pequim deve intensificar o apoio ao crescimento e ao emprego", disse Qu Hongbin, economista-chefe do HSBC para a China, em um comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROPMICHINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.