Pobres não vão pagar a conta da crise financeira, afirma Lula

No discurso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que 2008 foi um ano 'excepcional' para o Brasil

Agência Brasil

30 Dezembro 2008 | 15h44

No último compromisso oficial de 2008, pouco antes de iniciar um período de recesso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva inaugurou nesta terça-feira, 30, em Recife (PE), a primeira etapa de um parque que leva o nome de sua mãe, Dona Lindu. Veja também: Entenda o fator previdenciário e o que pode mudarDe olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise   No discurso, ele afirmou que 2008 foi um ano "excepcional" para o Brasil e, ao falar sobre a crise financeira mundial, disse que os pobres não irão sofrer as conseqüências. "Os pobres não pagarão a conta da crise nesse país, não vamos travar a economia por conta da crise, não queremos que os empresários deixem de fazer investimentos." Na presença de seus irmãos e parentes de Pernambuco, o presidente inaugurou a primeira etapa do Parque Dona Lindu, no Bairro de Boa Viagem. O espaço foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e a primeira etapa inclui brinquedos para crianças, quadra de esportes, pistas para caminhada e espaço para ginástica. A previsão é de que a obra seja concluída em março de 2009. Na ocasião, foi inaugurado também o Memorial dos Retirantes, um conjunto de esculturas do artista plástico pernambucano Abelardo da Hora, que representa Dona Lindu e seus filhos. As esculturas buscam homenagear pessoas que, a exemplo da família do presidente Lula, deixaram suas casas em busca de oportunidades em outros cidades. As esculturas estão fixadas no terreno do parque, de frente para o mar.

Mais conteúdo sobre:
criseLuiz Inácio Lula da Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.