finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Poço perfurado no pré-sal confirma potencial de Tupi

A Petrobras informou hoje que ultrapassou um reservatório de óleo no quarto poço perfurado no projeto Tupi, até agora a maior descoberta do pré-sal da Bacia de Santos. Segundo a empresa, o resultado do poço confirma as projeções iniciais para a área, que tem volumes de óleo entre 5 e 8 bilhões de barris. Tupi está localizado no bloco BM-S-11, onde a Petrobras tem parceria com a britânica BG, com 25% de participação, e com a portuguesa Galp, com 10%.

NICOLA PAMPLONA, Agencia Estado

12 de novembro de 2009 | 20h52

Em comunicado distribuído hoje à noite, a Petrobras diz que o poço atravessou um reservatório de petróleo e gás de 250 metros de espessura, localizado em profundidades superiores a 4,9 mil metros. O trabalho está sendo realizado 18 quilômetros ao norte do poço descobridor de Tupi, em uma área localizada a 265 quilômetros da costa de São Paulo. O óleo encontrado é do tipo leve, com 28º API (unidade internacional de qualidade do petróleo).

O resultado do poço mantém o bom desempenho da atividade exploratória da Petrobras na chamada área do pré-sal da Bacia de Santos, onde a empresa tem um índice de sucesso de 100% - apenas dois poços na região não tiveram sucesso na busca do petróleo, um perfurado pela americana Exxon e outro pela britânica BG. A estatal estima ter encontrado na área, até agora, volumes de petróleo e gás entre 9,1 e 14 bilhões de barris.

O volume foi identificado nas descobertas de Tupi, Iara e Guará. Além destes, a Petrobras trabalha, na região, nos projetos Júpiter, Abaré Oeste, Iguaçu, Carioca, Bem-Te-Vi, Parati e Caramba. A companhia tem ainda descobertas do pré-sal no norte da Bacia de Campos, em uma província petrolífera batizada de Parque das Baleias, onde já produz petróleo debaixo do sal no campo de Jubarte.

Tupi também está em produção, em esquema de testes, com a extração de 15 mil barris por dia. No ano que vem, o projeto recebe um projeto piloto de produção, com capacidade de até 100 mil barris por dia. O objetivo é ampliar o conhecimento sobre o comportamento do reservatório, esclarecendo questões como qual o caminho percorrido pelo petróleo por dentro da rocha durante a extração. Segundo o comunicado distribuído hoje, a empresa fará nas próximas semanas testes de formação no quarto poço de Tupi para avaliar a produtividade do reservatório.

Tudo o que sabemos sobre:
pré-salpetróleoTupiPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.