Polícia encontra turbina e equipamentos roubados da Vasp

A polícia civil de São Bernardo do Campo apreendeu nesta terça-feira vários equipamentos da Vasp, entre os quais uma turbina avaliada em US$ 1 milhão. Os equipamentos, com valores totais de cerca de R$ 8 milhões, foram roubados das dependências da empresa no mês passado. O montante seria suficiente para cobrir dois meses da folha de salários da empresa, que até meados do ano passado empregava 4,5 mil pessoas.Os equipamentos foram encontrados no pátio de uma concessionária de caminhões, a Brasil Caminhões, localizada no quilômetro 18 da Rodovia Anchieta. O proprietário da concessionária, Anésio Júnior, foi preso em flagrante e levado algemado para a delegacia. Ele responderá a inquérito por receptação. A Vasp está desde 10 de março sob intervenção judicial, decretada pela Justiça do Trabalho. Os bens de Wagner Canhedo, da Vasp e das demais empresas do grupo, estão indisponíveis.No início do mês, o juiz da 14ª Vara do Trabalho determinou a penhora dos bens para pagar dívidas trabalhistas. Segundo estimativas do Ministério Público do Trabalho, essa dívida ultrapassa R$ 400 milhões.A apreensão desta terça resultou de uma denúncia anônima recebida por um funcionário da empresa. A pessoa que fez a denúncia afirmou que havia uma turbina à venda por R$ 250 mil em São Bernardo. A denúncia chegou à comissão de intervenção da Vasp na quinta-feira. O interventor interino, Reginaldo Alves de Sousa, juntamente com outros membros da comissão, foi no início da tarde conferir o equipamento na concessionária e, em seguida, acionou a polícia. Equipamentos - Além da turbina de avião, foram encontradas duas vans, um trator e um Ground Power Unit (GPU, gerador de eletricidade que alimenta aeronaves no solo, avaliado em US$ 600 mil), entre outros equipamentos aeronáuticos. "Hoje é um dia muito importante, estamos começando a desvendar onde foi parar o nosso patrimônio", afirmou o interventor Sousa. "Teve gente que se matou, se separou e até foi preso por não pagar pensão alimentícia, por causa do que foi feito com a Vasp".Outros R$ 2 milhões em equipamentos, entre eles um torno de 5 toneladas e duas fresas (equipamentos de metalurgia para fabricar e aparar peças), sumiram da empresa no dia 16 de junho. Como conseqüência, os seguranças da empresa foram afastados. "O patrimônio já vinha sendo dilapidado antes da intervenção e isso continua acontecendo em todo o País", disse o interventor interino.Foram apreendidos ainda documentos e um computador da concessionária. O inquérito, dirigido pelo delegado Marco Antonio de Paula Santos, de São Bernardo, deverá durar cerca de um mês. Se for comprovada a participação de Canhedo, ele poderá ter sua prisão decretada. Armazenagem - O proprietário da concessionária alegou que apenas prestou um serviço de transporte para a Vasp e apresentou uma nota fiscal, referente ao transporte de uma carga do Aeroporto de Congonhas para Guarulhos. À polícia e à reportagem, disse ainda que teria feito um acordo para armazenar os equipamentos da Vasp, no valor de R$ 4,5 mil mensais."Como não recebi o aluguel, eu ia levar o equipamento para o terreno de um amigo em Suzano", disse Júnior. Ao serem pedidos mais detalhes, o empresário foi interrompido por seu advogado, André Cabrino: "Meu cliente apenas realizou o transporte. Não foi receptação"."A nota apresentada é muito genérica e pode ser fria", afirmou o advogado da Vasp, Pedro Morel, hoje assessor da comissão de intervenção. "Há evidências de irregularidades sérias." Além de ter havido uma fraude à execução, uma vez que os bens estão indisponíveis, a remoção de turbinas de aviões é um ato que depende de autorização do Departamento de Aviação Civil (DAC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.