Polícia Federal descobre fraude de R$ 3,8 milhões na Previdência

Escritório forjava declarações de renda e atestados de deficiência física para obter benefícios

Ricardo Brandt, da Agência Estado,

26 de setembro de 2013 | 14h48

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta quinta-feira, 26, cinco mandados de busca e apreensão contra um grupo que fraudava benefícios previdenciários. O esquema, que tinha como base Itupeva, no interior de São Paulo, teria provocado um prejuízo de pelo menos R$ 3,8 milhões.

A Operação Corredeira, contou com a PF, Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal. As buscas acontecem em Itupeva e Cajamar. As investigações começaram em 2011, após a Previdência comunicar suposta fraude em benefícios.

Um escritório de assessoria previdenciária de Itupeva forjava declarações de renda, atestados de deficiência física, para obter benefícios para pessoas que não tinham o direito. Os investigados serão indiciados por estelionato contra a Previdência Social.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.