Polícia Federal prende ex-dono da Vasp em Brasília

Wagner Canhedo Filho é investigado por esquema de fraude fiscal superior a R$ 875 milhões; PF encontrou, na casa do empresário, arma sem documentação; Canhedo Filho pagou fiança de R$ 38 mil

Erich Decat, O Estado de S. Paulo

22 Maio 2015 | 15h08


(Texto atualizado às 16h40, para correção de informações)

A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira, 22, o empresário Wagner Canhedo Filho, ex-dono da Vasp, por porte ilegal de armas. A prisão ocorreu durante a realização da Operação Patriota, deflagrada na manhã de hoje. A operação apura um esquema de fraude à execução fiscal, lavagem de capitais, formação de quadrilha e falsidade ideológica de um grupo empresarial comandado por Canhedo Filho.

Logo depois da prisão, Canhedo Filho foi liberado após o pagamento de fiança no valor de R$ 38 mil, segundo o advogado da família, Ticiano Figueiredo.

Os agentes federais cumpriram mandado de busca e apreensão na residência do empresário em Brasília. No local foram encontradas três armas, duas com documentação vencida e uma sem documentação, o que ocasionou na prisão, em flagrante, do empresário. Segundo integrantes da PF, Canhedo Filho poderá deixar a prisão mediante pagamento de fiança no valor de R$ 38 mil.

Na operação também foram cumpridos um total de 29 mandados judiciais, sendo 18 de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva.

As investigações, iniciadas em meados de 2014, revelam que os gestores do grupo empresarial comandado por Canhedo Filho constituíam empresas de fachada, em nome de "testas de ferro", o que possibilitava movimentar livremente os recursos que deveriam saldar suas dívidas, dentre as quais as tributárias, que somam aproximadamente R$ 875 milhões.

O nome da operação faz referência a um dos negócios do grupo empresarial investigado, um hotel em Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.