Política fiscal dura visa redução dos juros, diz Mantega

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, afirmou hoje que a política fiscal "mais dura", adotada pelo governo, tem o objetivo de assegurar a redução da relação da dívida pública com o PIB e permitir que a política monetária seja "aliviada", criando condições para uma redução mais rápida dos juros. Segundo o ministro essas medidas têm assegurado uma transição de sucesso de uma situação econômica mais difícil para outra de maior equilíbrio. Mantega, que participou da abertura do seminário "O Planejamento e a Nova Agenda de Desenvolvimento", afirmou que o País voltou a receber investimentos externos e admitiu que ainda há uma entrada majoritária de dinheiro especulativo que poderá "trazer problemas no futuro". "Mas ainda não é possível escolher o tipo de investimento", disse o ministro.Mantega registrou ainda que com a queda do dólar, que chegou a R$ 3 o câmbio está em patamar satisfatório que vai permitir a queda dos juros. "Infelizmente não foi ontem, na reunião do Copom, mas espero que seja em breve", observou. Segundo o ministro, a política macroeconômica adotada no início do governo foi taxada como definitiva e continuísta, mas foi adotada apenas para o que qualificou como "contenção de hemorragia", porque o Brasil, segundo Mantega, "nunca passou por uma crise tão grande de crédito em sua história". O ministro admitiu, no entanto, que a atual política é necessária, mas não suficiente para promover o crescimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.