Política industrial destaca comércio exterior e produtividade

O aumento do comércio externo e consequente redução da dívida externa e o crescimento da produtividade das empresas ajudarão a reduzir a vulnerabilidade da economia brasileira a choques externos. Estes são os principais pontos do documento de diretrizes de Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior, divulgado hoje pelo governo federal. Com isso, o documento afirma que haverá um relaxamento das restrições externas ao crescimento econômico."A redução da vulnerabilidade externa, por meio do aumento da corrente de comércio exterior, está sendo complementada com a melhora da composição da dívida pública, em particular, a redução progressiva da dívida indexada à taxa de câmbio", afirma o documento do Ministério do Desenvolvimento.Segundo ele, a política industrial estará focada no aumento da eficiência produtiva, da capacidade de inovação das empresas e expansão das exportações. "Essa é a base para uma maior inserção do País no comércio internacional, estimulando setores quando o Brasil tem maior capacidade ou necessidade de desenvolver vantagens competitivas, abrindo caminhos para a inserção nos setores mais dinâmicos nos fluxos de troca internacionais", diz o documento.De acordo com o texto, essa política deverá estar articulada com os investimentos planejados para a infra-estrutura e com os projetos de promoção do desenvolvimento regional, sendo parte do conjunto de medidas já previstas no Plano Plurianual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.