Política interna e preocupação internacional mexem com mercados

O dólar comercial iniciou o dia em alta, cotado a R$ 2,9110 na ponta de venda dos negócios. Às 11h14, a alta é menor e a moeda norte-americana é vendida a R$ 2,9090, em alta de 0,24% em relação aos últimos negócios de sexta-feira. A cotação máxima do dia até esse momento foi de R$ 2,9140 e a mínima R$ 2,9040. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em baixa e às 11h15 estava no patamar mínimo dia, em 21.794 pontos, com queda de 2,09%. Segundo informou a editora Cristina Canas antes da abertura dos mercados, a briga entre os ministros Mantega do Planejamento e Roberto Rodrigues da Agricultura realimenta a idéia de que o governo Lula está, desde que explodiu o caso Waldomiro, ocupado em apagar incêndios e com pouco espaço para dedicar à administração de problemas mais importantes para o País. No exterior, cresce o temor em relação a novos ataques terroristas depois que Israel matou o líder do grupo Hamas, xeque Ahmed Yassin. As declarações de outros líderes do grupo, de que a resposta do Hamas "será do tamanho deste homem" e em "ações e não palavras" e a extensão das ameaças de retaliação aos EUA imprimem comportamento negativo aos mercados internacionais nesta manhã. O risco Brasil ? taxa que mede a confiança dos investidores estrangeiros na capacidade de pagamento da dívida do país ? está em alta. No início do dia estava em 542 pontos base. Isso significa que os investidores estrangeiros pedem um prêmio de 5,42 pontos porcentuais acima dos juros pagos nos títulos norte-americanos, considerados sem risco.

Agencia Estado,

22 Março 2004 | 11h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.