Política monetária pode gerar impacto imediato, diz BC

Normalmente, os efeitos de corte da taxa de juros, por exemplo, são observados ao longo do tempo 

Fernando Nakagawa e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

29 de março de 2012 | 10h36

BRASÍLIA - Apesar de os efeitos da política monetária serem, normalmente, observados ao longo do tempo, o Relatório Trimestral de Inflação diz que algumas medidas geram algum efeito imediato. "É plausível afirmar que algum impacto imediato possa se materializar, por exemplo, por intermédio do canal das expectativas dos agentes", citam os diretores do BC na página 84.

Apesar dessa observação, os diretores do BC afirmam, que, entretanto, "os diversos canais pelos quais opera a política monetária impactam a atividade (e a inflação) com defasagens diferenciadas". O efeito máximo dessas ações, segundo o texto, pode ser conferido "alguns trimestres após a implementação da ação".

De posse dessa percepção, os diretores do BC afirmam que "essas defasagens são levadas em consideração na condução da política monetária, em parte, para se evitar flutuações indevidas na atividade econômica".

Nesse mesmo trecho do documento, os diretores do BC afirmam que as recentes ações de política monetária "também contribuirão para fortalecer a demanda doméstica - em especial o consumo das famílias e os investimentos". "Dito de outra forma, as ações de política monetária levam certo tempo para afetar atividade (e inflação), e os impactos de uma sequência de ações vão se sobrepondo no tempo", conclui o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.