André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Política monetária se mostrou bem sucedida em reduzir inflação, diz Ilan

Ao discursar em almoço da Febraban, na capital paulista, presidente do Banco Central também afirmou que medidas foram capazes de ancorar as expectativas inflacionárias

Eduardo Laguna e Francisco Carlos de Assis, O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2017 | 14h26

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, disse hnesta terça-feira, 12, que a inflação projetada para os próximos anos está sob controle, lembrando das projeções do Copom - no cenário com trajetórias para as taxas de juros e câmbio do mercado - que apontam para inflação de 2,9%, 4,2% e 4,2% em 2017, 2018 e 2019, respectivamente.

Ao discursar em almoço da Febraban, na capital paulista, Goldfajn comentou que a condução “firme” da política monetária, em conjunto com a mudança na direção da política econômica, foi decisiva para reduzir expectativas de inflação e colocá-la em trajetória de queda. “Sem essa mudança, não teríamos essa queda como ela ocorreu”, declarou o titular do BC.

Segundo Goldfajn, a dosagem da política monetária foi bem-sucedida em reduzir a inflação e ancorar as expectativas inflacionárias. Ao mesmo tempo, as projeções à recuperação da economia melhoraram, citando expectativas de crescimento para 2017 e 2018 em 0,9% e 2,6%, respectivamente.

++ 'Estou aproveitando a impopularidade para fazer o que o Brasil precisa', diz Temer

Essas previsões, lembrou, são maiores do que as traçadas no fim do ano passado. “Não só a inflação caiu como as expectativas de crescimento melhoraram”, frisou Goldfajn, apontando também que a inflação em 12 meses foi reduzida de 10,7%, no fim de 2015, para 2,8% no mês passado, uma “queda muito significativa”.

Mais conteúdo sobre:
Ilan Goldfajn inflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.