carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Pólo Calçadista de Birigüi inaugura novo conceito de negócios

O pólo calçadista de Birigüi (SP) inaugurou ontem um novo modelo de negócios no País, com o início oficial das operações de um portal que vai interligar as empresas do setor em uma comunidade virtual. Uma das inovações é que essa rede virtual (www.sindicato.org.br) vai integrar, além de parceiros tradicionais como os membros da cadeia produtiva e as instituições financeiras, os mais conceituados centros de pesquisas e universidades brasileiros, como a USP. "É a ferramenta do conhecimento a serviço do desenvolvimento empresarial", afirma Oswaldo Gouvêa de Oliveira, diretor da RadiumSystems, empresa que concebeu, desenvolveu e operacionalizou o projeto.Situado a 500 Km da Capital, o município de Birigüi reúne um dos principais pólos de calçados infantis da América Latina e compõe um dos clusters (arranjos locais onde a cadeia produtiva atua integrada com foco na eficiência e aumento das exportações) do Estado. O cluster de Birigüi, composto por 166 pequenas e médias empresas, faturou no ano passado R$ 1,2 bilhão e produziu cerca de 75 milhões de pares. Desse total, 15% foram exportados. "O portal vai acelerar nossos negócios e permitir a abertura de novos mercados, tais como o Oriente Médio", informa o presidente do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigüi, Samir Nakad. A meta é que as exportações atinjam 30% da produção, num prazo de cinco anos.Em razão da importância estratégica deste cluster para o governo do Estado, principalmente em função do potencial exportador e gerador de empregos 60% da mão-de-obra da cidade, cerca de 18 mil pessoas, trabalham nesse pólo calçadista o portal contou com o apoio institucional da Secretaria de Ciência e Tecnologia de São Paulo. "Não entramos com recursos, apenas com o apoio político porque acreditamos neste novo modelo de desenvolvimento", garante o secretário executivo de Ciência e Tecnologia, Lourival Carmo Monaco. Segundo ele, o diferencial é que o conceito implantado pela RadiumSystem utiliza a ferramenta do conhecimento e do saber para agregar ao setor produtivo de pequenas e médias empresas valores econômicos e tecnológicos.O diretor da RadiumSystem concorda que este é um modelo diferente de portal. "Ele foi criado a partir de um diagnóstico feito com os próprios empresários, sob o ponto de vista da cadeia de valor e com o objetivo de levar competitividade para o cluster." Oswaldo Oliveira cita também uma outra vantagem do projeto, que é a adoção do software livre. Segundo ele, através da integração nessa rede, os empresários começaram a se ver como parte de um grupo, com problemas e soluções comuns. E complementa: "Além disso, perceberam que através da união de esforços, os resultados são muito mais significativos. Pois hoje em dia, a competição não está centrada apenas em sua região, mas sim no mundo, cada vez mais interligado."Genoma do empresariadoA estruturação, implantação, operação e gestão do sistema de informação do projeto do cluster de Birigüi foi da empresa RadiumSystem. Já o conteúdo do portal ficou à cargo da Cidade do Conhecimento, uma rede colaborativa digital de conhecimento, ligada ao Instituto de Estudos Avançados da USP, que funciona há quatro anos e desenvolve o apoio a projetos na área educacional. De acordo com o diretor acadêmico dessa rede, Gilson Schwartz, o portal calçadista pode ser classificado como o genoma do setor empresarial: "É um projeto pioneiro que vai levar o gene da pesquisa aos empreendedores, com resultados altamente positivos para a economia."Segundo Schwartz, que será o Chief Knowledge Officer (CKO, ou executivo que administra o capital intelectual) do portal, as grandes empresas, sobretudo as multinacionais, já incorporaram em suas redes a ferramenta da gestão do conhecimento. "O grande desafio, porém, é levar esse conceito para pequenas e médias empresas." E no seu entender, é justamente esse conceito que está sendo implantado em Birigüi. "Estamos fazendo um verdadeiro mutirão capaz de permitir o acesso dos empresários locais a uma conexão diferenciada, inteligente e de ponta, em um sistema de troca de informação e de conhecimento," reitera.O secretário executivo de Ciência e Tecnologia assegura que o governo do Estado continuará dando apoio institucional a essa iniciativa porque é fundamental colocar o conhecimento à disposição do empresariado. "E o conhecimento é a essência dos processos de inovação em qualquer área", complementa Monaco. Além do portal de Birigüi, a RadiumSystem já trabalha num projeto semelhante com o cluster de calçados femininos de Jaú, que reúne 250 empresas. "E vamos continuar desenvolvendo o projeto com outros pólos", avisa Oswaldo de Oliveira.Além de Oliveira, que é economista com experiência nas áreas de tesouraria e crédito em instituições financeiras e empresas multinacionais, os outros sócios da RadiumSystem, são: Rodrigo Lara Mesquita, responsável pela criação e desenvolvimento do projeto Agência Estado, Jean Jacques Faust, ex-membro do conselho diretor da Saint Gobain Corporation, Paulo Bagnoli Arruda César, que acumula o cargo na empresa com a presidência do conselho de administração da BULL do Brasil e Vanda Scartezini, engenheira eletrônica com larga experiência no Brasil e no exterior na área da Tecnologia da Informação, entre os cargos que ocupou estão o de presidente do INPI e o de Secretária Nacional de Política de Informática do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Agencia Estado,

29 de abril de 2004 | 16h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.