Polônia reduz juro com inflação em mínima histórica

O Conselho de Política Monetária do Banco Nacional da Polônia, o Banco Central polonês, reduziu suas principais taxas de juro em 50 pontos-básicos. A despeito das preocupações sobre o relaxamento de suas diretrizes fiscais neste ano, o BC polonês parece ter prestado mais atenção nos níveis de inflação, que estão em níveis mínimos recordes, e nos sinais de fraco crescimento econômico, mesmo após ter aliviado o crédito em seis ocasiões neste ano.O conselho reduziu a taxa de intervenção de 28 dias, a principal da instituição, de 8,0% para 7,5%, enquanto a taxa de desconto recuou de 9,0% para 8,5%. A taxa lombarda passou de 10,5% para 10% e a taxa de depósitos recuou de 5,5% para 5%. Os analistas locais estavam divididos sobre a possibilidade de corte nas taxas na reunião de hoje, mas previam, por unanimidade que, se houvesse uma redução, ela seria de 50 pontos-básicos.Os economistas afirmavam que os fundamentos econômicos, incluindo a queda da inflação para um nível anualizado recorde de 1,2% em agosto e os sinais de crescimento fraco da produção e da demanda, apontavam para uma redução nos juros. Os economistas destacavam, no entanto, que o comitê poderia deixar a redução para o encontro de outubro, em razão das preocupações sobre o orçamento do governo para o próximo ano, que deve ser enviado ao parlamento na segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.