Ponte entre Argentina e Uruguai será bloqueada por 5 dias

Uma assembléia de moradores da cidade argentina de Colón decidiu na madrugada desta terça-feira, 13, bloquear a ponte que liga o município à cidade uruguaia Paysandú, entre quarta-feira e domingo, para protestar contra a construção de uma fábrica de celulose no país vizinho que a Argentina considera poluente.A informação foi dada à imprensa local por Silvia Echeverría,coordenadora da reunião.Com o bloqueio da ponte General Artigas, a única das trêspassagens fronteiriças entre os dois países que permanecerá aberta ao trânsito entre quarta-feira e domingo será a que une as cidades de Concordia (Argentina) e Salto (Uruguai)."No domingo, faremos nova reunião e definiremos os passos aseguir", destacou a moradora de Colón, cuja população faz há meses bloqueios intermitentes da ponte em solidariedade com Gualeguaychú, cidade que lidera a luta contra a fábrica de celulose da empresa finlandesa Botnia no Uruguai.Os moradores de Gualeguaychú bloqueiam ininterruptamente desde 20 de novembro a estrada que liga a cidade a Fray Bentos, onde está sendo construída a fábrica da Botnia.A instalação da unidade de celulose no Rio Uruguai, fronteiranatural entre os dois países, suscitou um conflito entre BuenosAires e Montevidéu, a chamada "guerra das papeleiras", cujo destino está nas mãos da Corte Internacional de Justiça, organismo das Nações Unidas com sede na cidade holandesa de Haia.A Espanha começou, em novembro, uma gestão para aproximar as partes. No dia 2 de fevereiro, o ministro de Assuntos Exteriores do país europeu, Miguel Ángel Moratinos, anunciou que Argentina e Uruguai haviam chegado a um "entendimento para iniciar um diálogo direto" sobre a questão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.