Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Por reforma da Previdência, Maia cancela viagem ao Líbano

Quem assumiria sua posição seria Fábio Ramalho (PMDB), que tem se mostrado crítico às mudanças na lei

Isadora Peron, Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2017 | 21h03

BRASÍLIA - Em meio ao esforço para aprovar a reforma da Previdência, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), desistiu de viajar ao Líbano. Ele embarcaria neste domingo, 30, para representar o Brasil em um evento sobre a Diáspora Libanesa.

Com a ausência, quem assumiria o comando da Casa seria o 1º vice-presidente, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), que é da base aliada, mas tem feito críticas à reforma. 

Durante a semana, Maia mostrou preocupação em se ausentar do País durante a tramitação da reforma, mas o cancelamento da viagem só foi confirmado neste sábado pela assessoria do presidente da Câmara. A votação do relatório com as mudanças na Previdência na comissão especial da Casa está prevista para começar a partir de quarta-feira, 3.

Maia também terá que enfrentar temas importantes no plenário esta semana, como concluir a votação dos destaques do projeto que cria um regime de recuperação para Estados em situação de calamidade fiscal. A proposta interessa diretamente ao seu Estado natal, o Rio de Janeiro. Na semana passada, deputados conseguiram derrubar uma das contrapartidas impostas pelo governo, o que dificultou a conclusão da proposta.

Há ainda seis medidas provisórias trancando a pauta da Casa. Uma delas, a MP 752, que estabelece condições para a prorrogação e a relicitação de contratos de concessão, precisa ser votada também pelo Senado até o dia 4 de maio, para não perder a validade. 

Viagens.

Essa seria a terceira viagem internacional de Maia como presidente da Câmara. Em outubro do ano passado, ele viajou para o Azerbaijão “a convite” das autoridades locais. Levou com ele outros cinco deputados. A viagem incluiu um dia livre em Madrid e outro em Lisboa. Em novembro, o parlamentar fluminense foi ao Vaticano para participar da cerimônia em que o arcebispo de Brasília, Dom Sérgio da Rocha, se tornou cardeal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.