Porto Alegre é a capital com a cesta básica mais cara

Porto Alegre é a capital com a cesta básica mais cara do Brasil, mesmo com a queda de 4,01% registrada em setembro. No mês passado, os gaúchos compravam a cesta por R$ 182,38. A Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudo Sócio-Econômico (Dieese), apontou ainda que, no mês passado, a única capital a registrar aumento no preço foi Brasília. A alta foi de 0,55%, com a cesta valendo R$ 170,25. A Pesquisa apontou também que a cesta composta pelos alimentos de primeira necessidade teve seu preço médio reduzido em 15 das 16 capitais do País em que o Dieese realiza a apuração. As quedas mais expressivas foram apuradas no Recife (-10,54%), Natal (-8,79%) e Aracaju (-8,43%).São Paulo e Rio de Janeiro, pela ordem, foram as duas cidades mais caras para os trabalhadores de baixa renda, com o preço da cesta variando entre R$ 178,37 e R$ 171,51. Os menores valores foram verificados em capitais do Nordeste, onde o conjunto dos gêneros alimentícios básicos, composto por 12 itens, foi encontrado por R$ 131,53 no Recife e por R$ 132,58 em Salvador.Salário MínimoTomando como base o maior valor da cesta básica, de R$ 182,38 em Porto Alegre, o Dieese estima que o salário mínimo em setembro deveria ter sido de R$ 1.532,18, ou 5,89 vezes o valor vigente de R$ 260,00.O Dieese considera como ideal um salário que atende as necessidades de uma família com quatro pessoas (dois adultos e duas crianças)com alimentação, moradia, educação, saúde, transportes, higiene, vestuário, lazer e previdência social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.