Porto Alegre segue com cesta básica mais cara do País

A cidade de Porto Alegre continuou em agosto no posto de capital com a cesta básica mais cara do País. Conforme levantamento nacional realizado em 17 capitais pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a capital gaúcha liderou o ranking pela 11ª primeira vez consecutiva, após o preço da cesta avançar 0,51% ante julho, para R$ 238,67, bem acima do preço observado na segunda cidade mais cara, São Paulo, onde o conjunto de produtos alimentícios essenciais custou, em média, R$ 225,69.

FLAVIO LEONEL, Agencia Estado

04 de setembro de 2009 | 13h10

Vitória foi a terceira capital com preço mais elevado, de R$ 223,09, considerado estável em relação a julho pelo Dieese. Com preços acima de R$ 200 também ficaram as cestas de Manaus (R$ 217,90), Brasília (R$ 217,27), Florianópolis (R$ 216,53), Rio de Janeiro (R$ 213,75), Belo Horizonte (R$ 213,51), Curitiba (R$ 211,47) e Belém (R$ 202,69). Os menores valores do período ficaram com as cestas de Aracaju (R$ 168,06), Fortaleza (R$ 176,57) e João Pessoa (R$ 178,12).

O Dieese realizou a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de agosto nas cidades de Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória.

Tudo o que sabemos sobre:
Dieesecesta básica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.