Porto de Roterdã dobra movimento de biocombustíveis

A quantidade de biocombustível transportada pelo porto de Roterdã, na Holanda, o mais importante da Europa, dobrou em 2007, e deve aumentar ainda mais no futuro, segundo dados divulgados pelo porto. "A autoridade portuária prevê uma expansão ainda maior do mercado", afirmou o porto em um comunicado.A movimentação de etanol e biodiesel no ano passado somou 2,7 milhões de toneladas, contra 1,35 milhão de toneladas em 2006. O volume de biodiesel cresceu para 1,1 milhão de toneladas em 2007, de apenas 250 mil toneladas em 2006. O movimento de etanol subiu para 1,6 milhão de toneladas, ante 1,1 milhão no ano anterior. Além disso, o número de países envolvidos no comércio de importação e exportação mais que dobrou em um período de dois anos, totalizando 20. Uma fábrica de biocombustível está sendo construída em Roterdã, e terá uma capacidade anual de produção de mais de 3 milhões de toneladas. O Brasil foi responsável por cerca de 40% do etanol importado através do porto, especialmente no final do ano, quando o aumento dos custos de matérias-primas, principalmente o trigo, prejudicou a produção de etanol na Europa. A Suécia foi o destino final para cerca de 40% do etanol, e o Reino Unido o destino para aproximadamente 15%. As importações de biodiesel dos Estados Unidos através de Roterdã somaram 400 mil toneladas, enquanto as importações do Reino Unido e da Alemanha alcançaram 60 mil toneladas cada. Cerca de um terço das exportações foi para os Estados Unidos, enquanto cerca de 50 mil toneladas foram para Espanha, França e Látvia. Na Alemanha, maior produtor mundial de biodiesel, as fábricas estão atualmente operando a 10% da capacidade, de acordo com um comunicado divulgado hoje pela Home Grown Cereals Authority (HCGA). Isso deve-se aos preços elevados das matérias-primas e à introdução de um aumento gradual da tarifa de biodiesel no país. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.