Portugal sugere à UE barganha com etanol na OMC

Um grupo de países europeus sugere barganhar com o Brasil a entrada do etanol no mercado da União Européia (UE). Ontem, Portugal, Suécia e Finlândia sugeriram em Genebra que a UE aceitasse incluir o etanol brasileiro na Rodada Doha e pedisse, em troca, o acesso ao mercado nacional para algum produto de seu interesse. Mas nem todos estão de acordo com o tratamento dado ao Brasil. Ontem, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediu mais concessões do Brasil, Índia e China e avisou que seu país não assinará o acordo da Rodada Doha a menos que o mesmo seja modificado. O etanol é o produto que hoje comanda a diplomacia comercial brasileira e o chanceler Celso Amorim insiste que as tarifas sobre o produto precisam ser liberalizadas. França, Itália, Romênia e Áustria alertam que não estaria na hora de tratar do assunto, insistindo que a indústria européia precisa ser protegida. Mas para Portugal e os escadinavos, deveria haver uma margem de manobra. Ontem, os três países sugeriram ao comissário de Comércio da UE, Peter Mandelson, que a UE ofereça certo acesso a seu mercado e, em troca, ganharia um corte de tarifas em um setor industrial no Brasil.

JAMIL CHADE, Agencia Estado

24 de julho de 2008 | 18h55

Mais conteúdo sobre:
OMCRodada Dohaetanol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.