Portugal Telecom fica com 25,6% de participação na Oi

Fatia dos portugueses na operadora brasileira ficou acima da expectativa inicial, que era de cerca de 22%

Reuters, O Estado de S.Paulo

29 Março 2011 | 00h00

A Portugal Telecom (PT) assumiu uma participação direta e indireta de 25,6% na Oi, após os aumentos de capital em empresas do conglomerado brasileiro de telecomunicações. A fatia dos portugueses na Oi é superior à estimada quando a aliança estratégica entre as companhias foi anunciada, em julho do ano passado. A expectativa era que a PT ficasse com cerca de 22% do grupo brasileiro. Segundo comunicado da PT, a empresa europeia desembolsou R$ 8,32 bilhões pela participação na Oi.

A PT comprou 35% da AG Telecom (da Andrade Gutierrez) e da La Fonte Telecom (do grupo Jereissati), que estão no topo da estrutura societária da Oi.

Além de ficar com uma fatia importante nessas sociedades, a PT passa a deter uma posição relevante direta no capital da Telemar Norte Leste e da Tele Norte Leste, empresas do grupo brasileiro que são listadas em bolsa.

No caso da Telemar Norte Leste, a PT terá, diretamente, 9,4% do capital total, enquanto na Tele Norte Leste ficará com 10,5%.

Atendimento. A PT concluiu ainda a compra de 16,2% da empresa de call center Contax, que também pertence à Oi, por R$ 116 milhões.

O próximo passo será a fusão da Contax com a Dedic, empresa de atendimento da companhia portuguesa.

Uma aliança com a Oi no Brasil foi o caminho encontrado pela PT para ceder à pressão da Telefónica para venda de parte da Vivo sem tirar o pé do mercado brasileiro de telecomunicações.

A Oi aceitou vender os 50% que tinha na Brasilcel, holding de controle da Vivo, para sua então sócia Telefónica, em julho de 2010, por 7,5 bilhões. Simultaneamente, os portugueses costuraram o acordo com a Oi.

Segundo a PT, a Tele Norte Leste está reduzindo sua dívida líquida em R$ 6 bilhões, para R$ 12,7 bilhões, após o aumento de capital. A relação entre dívida líquida e Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) foi reduzida para 1,2 vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.