Possível corte não ameaça Minas e Energia, diz Lobão

Segundo ministro, pasta concentra diversas obras do PAC e não deve ser atingida por corte decorrente da crise

Agência Brasil,

22 de outubro de 2008 | 14h14

O possível corte no orçamento dos ministérios não assusta o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Segundo ele, a pasta concentra obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e por isso deve ficar fora de possíveis reduções de verba.  Veja também:Se crise atingir o País, ministérios podem ser afetados, diz LulaConsultor responde a dúvidas sobre crise  Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise    "Na minha pasta estão as obras do PAC e as obras do PAC não sofrerão cortes de nenhuma natureza. Os cortes que podem surgir serão com custeio e minha pasta é a que tem menos recursos para custeio", disse ao chegar ao Palácio do Planalto para a cerimônia de comemoração dos 20 anos da Constituição.  Na terça-feira, em discurso em São Paulo, o presidente Lula sinalizou que orçamentos de ministérios podem ser reduzidos caso a crise financeira abale significativamente o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.