Postos de SP não aceitam cartão de crédito

Os postos de gasolina de São Paulo estão realizando desde segunda-feira um boicote ao pagamento de combustível com cartão de crédito. De acordo com dados do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Estado de São Paulo (Sincopetro), 55% dos postos de gasolina paulistas não estão aceitando o cartão de crédito. O movimento será mantido até o próximo domingo.O presidente do Sincopetro, José Alberto Paiva Gouveia, alerta que o boicote é uma forma de protesto contra as altas taxas de administração cobradas pelas administradoras de cartão de crédito. Segundo o Sincopetro, as taxas de administração variam de 3% a 4% e o tempo de ressarcimento dos proprietários de postos é de 30 dias. "No exterior a taxa de administração é de 0,75%, em média, e o prazo de ressarcimento é de no máximo 72 horas", destaca Gouveia. Gouveia avalia que as altas taxas cobradas pelas administradoras e a demora no pagamento comprometem os lucros dos proprietários dos donos de gasolina. O Sincopetro afirma que cerca de 55% dos 8,3 mil postos paulistas aderiram ao boicote.Faixa nos postos avisa sobre boicoteOs postos de gasolina que aderiram ao protesto possuem uma faixa com os seguintes dizeres: "Não aceitamos cartões de crédito devido às altas taxas cobradas pelas administradoras". O presidente do Sincopetro conta que poucos postos da zona Sul da cidade de São Paulo aderiram ao manifesto, pois nesta região o cartão é a principal forma de pagamento utilizada pelos motoristas. "Na zona Sul da Capital, apenas 25% dos postos não estão aceitando cartão", afirma.A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) foi consultada pela reportagem da Agência Estado, mas preferiu não se pronunciar sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.