Postos gaúchos aceitam teto para preço da gasolina

Cerca de 40 postos de Porto Alegre se comprometeram a não cobrar mais do que R$ 2,62 pelo litro da gasolina. Os proprietários dos estabelecimentos aceitaram uma proposta do Ministério Público do Rio Grande do Sul e vão se submeter ao teto para não serem levados a julgamento pela prática de preços abusivos e de aumentos em vésperas de feriados. O acordo vale por tempo indeterminado, mas o preço poderá ser alterado quando houver reajuste imposto pelas refinarias ou mudança na carga tributária.O Ministério Público acompanha o preço da gasolina há cerca de dois anos e já moveu ações contra cerca de cem dos 255 postos da capital gaúcha. Além dos 40 que fizeram o acordo para encerrar o caso, outros 60 serão convidados a seguir o mesmo caminho nas próximas semanas. A Promotoria de Defesa do Consumidor espera obter a adesão de pelo menos 70 postos ao teto. O valor de R$ 2,62 considera uma margem bruta de lucro de 14%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.