Potash confirma ter sido abordada por outras companhias

Na semana anterior, fabricante de fertilizantes recebeu oferta hostil de compra de US$ 38,6 bi da BHP Billiton

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

23 de agosto de 2010 | 08h18

A companhia canadense Potash Corp disse ter sido sondada por outras companhias na semana passada, após a oferta hostil de aquisição de US$ 38,6 bilhões da BHP Billiton, e uma vez que recomendou formalmente a seus acionistas a não aceitarem a proposta da mineradora anglo-australiana. A Potash disse ter iniciado contato com "um número de terceiras partes, que expressou interesse em considerar transações alternativas".

A agência de notícias financeiras Bloomberg informou que a Vale e a chinesa Sinochem consultaram o Conselho de Administração da Potash Corp, na semana passada, sobre a possibilidade de realizarem conversações futuras.

O The Wall Street Journal publicou hoje que um consórcio liderado pelo fundo de private equity chinês Hopu Investment Management estuda a possibilidade de uma oferta pela Potash, citando pessoas próximas as discussões. Segundo a fonte, o consórcio é composto por investidores do Canadá, dos EUA e da Ásia, e inclui pelo menos dois fundos soberanos.

O Conselho de Diretores da Potash anunciou que, após cuidadosas considerações com a assistência de consultores financeiros e legais independentes, votou, em unanimidade, pela rejeição da oferta não solicitada da BHP Billiton de aquisição das ações da Potash por US$ 130,00 cada. Em nota distribuída pela empresa, o conselho também recomendou aos acionistas que rejeitem a oferta e não coloquem suas ações à venda. O Conselho de Diretores, em unanimidade, acredita que a oferta da BHP Billiton subestima a Potash e não reflete o valor da posição da empresa em uma indústria estrategicamente vital e seu potencial de crescimento sem paralelo, diz a nota.

A Potash Corp é a maior produtora mundial de carbonato de potássio, o mais valioso dos três principais componentes dos fertilizantes por ter oferta limitada e com minas em apenas 12 países. A companhia é a terceira maior produtora de produtos com base em fosfato e nitrogênio. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.