Potências européias querem transparência sobre riscos de bancos

Líderes das quatro maiores economias daEuropa pediram nesta terça-feira por uma cooperação econômicamais estreita e para que bancos sejam mais transparentes sobreo risco, acrescentando que mais regulamentos serão necessáriosse instituições financeiras não consentirem com o pedido. Os líderes da Grã-Bretanha, França, Alemanha, Itália e aComissão Européia demonstraram unidade para tranquilizar osnervosos mercados e respaldar a confiança à medida que aeconomia global mostra sinais de desaceleração. Mas o comunicado conjunto divulgado após o encontro daspotências em Londres teve poucas medidas para acalmar osmercado. "A economia global passou por um período de crescimentoestável e sustentado. Entretanto, a recente turbulência nosmercados financeiros aumentou os riscos para 2008", relatou ocomunicado conjunto. As potências pediram melhores informações sobreclassificação de crédito e por melhor compreensão --enotícias-- da exposição de bancos após a crise global decrédito. Embora estejam ansiosos para mostrar que podem lidar comuma desaceleração econômica global, o alcance da ação dosgovernos é limitado. A alta dos preços de energia e de alimentos significa que oBanco Central Europeu e o Banco da Inglaterra terão dificuldadeem cortar a taxa básica de juro tão agressivamente quanto oFederal Reserve. Além disso, um enorme impulso fiscal como o pacote deestímulo de 146 bilhões de dólares aprovado pela Câmara dosDeputados dos EUA nesta terça-feira, não deve ter aprovação naEuropa, onde as finanças públicas já estão apertadas. (Reportagem adicional de Kate Kelland, Giselda Vagnoni,Adrian Croft e Sumeet Desai em Londres, Brian Love em Paris,Matthias Sobolewski, Erik Kirschbaum em Berlim, e JanStrupczewski em Bruxelas)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.