Poupança: perda de R$ 267 mi em agosto

A caderneta de poupança teve uma perda líquida de R$ 267,882 milhões em agosto. Isso quer dizer que os depósitos no mês passado foram menores do que as retiradas e os rendimentos creditados às contas que já existiam. O resultado negativo de agosto é mais de cinco vezes superior ao registrado em julho, quando a captação líquida foi negativa em R$ 49,239 milhões.Essa não é a primeira vez que a poupança perde depósitos esse ano. Na verdade, apenas em janeiro e junho a caderneta registrou captações líquidas positivas. Esse ano a perda de depósitos já acumula R$ 1,6 bilhão. Em janeiro o saldo das contas de poupança era de R$ 112,026 bilhões, enquanto em agosto encerrou em R$ 110,418 bilhões.A explicação para as perdas é o baixo rendimento que a aplicação vem alcançando quando comparado a outros investimentos de baixo risco. A caderneta de poupança rendeu esse ano 5,73%, menos que um fundo de renda fixa com característica conservadora, que acumulou em média ganhos superiores a 10%. Mas, deve se considerar que a poupança é isenta de IR e muitos bancos depositam para o cliente o equivalente à CPMF para quem mantém a aplicação por no mínimo três meses. Mesmo assim, rendimento é baixo e a poupança corre o risco de perder para a inflação. A baixa rentabilidade da caderneta de poupança tem preocupado o governo. Um grupo de estudo que envolve o Ministério da Fazenda, Banco Central e Caixa Econômica Federal foi criado para discutir mudanças no Sistema Financeiro Habitacional (SFH), que tem como fonte de recursos a caderneta de poupança. Um dos problemas analisados pelos técnicos do governo é como garantir uma melhor rentabilidade da poupança sem, no entanto, sacrificar quem tem financiamentos corrigidos pela TR.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.