PPI nos Estados Unidos fica estável

Nessa semana, o mercado financeiro brasileiro e, principalmente, o norte-americano trabalharam na expectativa da divulgação do índice de preços ao produtor (PPI) nos Estados Unidos. O número saiu hoje e agradou. De acordo com o Departamento do Trabalho dos EUA, o índice teve variação de zero em maio. Em abril houve declínio de 0,3% no índice. Esperava-se uma alta de 0,2%De acordo com a apuração da editora Patricia Lara, a estabilidade dos preços foi creditada, principalmente, à contínua desaceleração dos custos com energia. Descontando-se os itens energia e alimentos, que apresentam forte oscilação, as pressões inflacionárias intensificaram-se, com o núcleo subindo 0,2%, acima da alta de 0,1% em abril. Reação dos mercados O índice de inflação nos Estados Unidos deve trazer otimismo para o mercado financeiro hoje. Segundo reportagem da editora Lucinda Pinto, os operadores acreditam que o Tesouro pode anunciar hoje o leilão de títulos prefixados para a próxima terça-feira. Nessa operação, o governo paga ao investidor que comprou o papel a taxa definida no dia da venda.O Tesouro suspendeu a venda desse tipo de papel, pois o mercado vinha pedindo taxas muito altas. Isso porque os juros nos Estados Unidos - 6,5% ao ano - está atrativo e o Brasil precisa oferecer juros mais elevados para segurar os investimentos e captar dinheiro. Outra boa notícia esta manhã foi a divulgação do IPCA de maio, que ficou em 0,01%.A Bolsa de Valores de São Paulo abriu em alta de 0,91%, acompanhando a boa reação do mercado externo à divulgação do PPI. Agora há pouco registrava pequena alta de 0,01%. A Nasdaq - bolsa norte-americana que negocia ações de empresas de tecnologia - está em alta de 1,37% e Dow Jones - a bolsa de Nova Iorque -, baixa de 0,76%

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.