PPP precisa ter regras claras, diz empresário

O vice-presidente do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, empresário Roberto Teixeira da Costa, disse hoje, no programa "Bom Dia, Brasil", da Rede Globo, que a participação do empresariado nos investimentos em infra-estrutura no País, no âmbito do programa de Parcerias Público-Privadas (PPP) depende basicamente dos marcos regulatórios, ou seja, de regras claras e previsibilidade. O anteprojeto do PPP foi divulgado ontem pelo ministro do Planejamento, Guido Mantega, e será colocado em consulta pública. Segundo ele, o País precisa continuar desenvolvendo uma estrutura de mercado de capitais. "Eu acho que tem os problemas da segurança e e da carência de capitais", disse Teixeira da Costa, quando questionado se o empresariado se sente seguro para investir no PPP. "Eu acho que o PPP, basicamente, visa motivar o capital que está fora do País. Para isso, o aspecto previsibilidade é muito importante. A questão do marco regulatório tomou uma importância muito grande. As agências reguladoras foram criadas principalmente porque, com a passagem de governos, características, promessas, contratos feitos vão ser respeitados. Isso é que interessa ao investidor estrangeiro: ele entrar sabendo quais são as regras do jogo?.Além disso, segundo o empresário, o País precisa continuar desenvolvendo uma estrutura de mercado de capitais. "Sem um mercado de capitais ativo, de fôlego, que dê às empresas condições de investirem a longo prazo, nós vamos continuar na dependência muito grande de capitais de fora, que é um complemento muito importante, uma condição necessária, mas não suficiente", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.