Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Práticas de concorrência desleal afetam 91% das empresas do RJ

As práticas de concorrência desleal afetaram o faturamento de 91% de 192 empresas do Rio de Janeiro ouvidas para a pesquisa sobre Concorrência Desleal e Comportamento do Consumidor da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), divulgada hoje. A federação realizou a pesquisa em novembro do ano passado, e ouviu 24 setores, com o objetivo de identificar as práticas de concorrência desleal mais prejudiciais às indústrias.Cerca de 41% das empresas analisadas também extrapolaram o valor total da perda monetária e da quantidade de empregos que poderiam ser gerados, caso não sofressem concorrência desleal. O valor do prejuízo chega a R$ 763 milhões para este grupo de empresas, e com 18 mil empregos a menos, devido à prática da atividade.Sonegação e piratariaSegundo a Firjan, a sonegação foi a circunstância de concorrência desleal mais lembrada pelas empresas. Entre as práticas de sonegação citadas estão as importações sub-faturadas, falta de registros de funcionários e notas frias.Em relação à pirataria, 34% das empresas pesquisadas têm seu faturamento afetado pela prática. Para 45% das empresas pesquisadas, os produtos piratas são comercializados tanto em estabelecimentos legais quanto no mercado informal; apenas 25% das empresas entrevistadas acham que os produtos piratas são vendidos apenas no mercado informal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.