Prazo para ajuda a 'órfãos' do câmbio é prorrogado

O governo prorrogou para 30 de junho de 2008 o prazo para as empresas se candidatarem ao financiamento subsidiado oferecido dentro do programa Revitaliza. A decisão foi tomada ontem em reunião extraordinária do Conselho Monetário Nacional (CMN), mas não foi anunciada durante a entrevista concedida pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. O prazo para adesão terminaria hoje, mas os setores beneficiados pela medida pediram a prorrogação alegando que não teriam tempo para cumprir a burocracia do programa.O socorro do governo aos setores "órfãos" do câmbio foi anunciado no dia 12 de junho, mas a regulamentação só foi concluída há cerca de 20 dias. O programa criou uma linha de crédito especial, com subvenção econômica pelo Tesouro Nacional, para financiamentos e empréstimos a empresas dos setores de pedras ornamentais, beneficiamento de madeira, beneficiamento de couro, calçados e artefatos de couro, têxtil, confecção e móveis e madeira.Podem requisitar o financiamento as empresas com receita operacional bruta de até R$ 300 milhões por ano. As linhas serão operadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Serão R$ 2 bilhões do BNDES e R$ 1 bilhão dos recursos do FAT-Giro Setorial. O Tesouro reservou R$ 407 milhões para pagar a subvenção econômica durante os cinco anos de programa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.