coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Prazo para comprar ações da Vale termina nesta sexta

Esta sexta é o último dia para quem quiser aproveitar a venda de ações da Companhia Vale do Rio Doce que o governo está promovendo, com 5% de desconto e direito a usar recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).Com a proximidade do fim do prazo da oferta pública, as filas cresceram nas agências bancárias. nesta quinta, o movimento foi intenso no prédio sede da Caixa Econômica Federal no Rio. Houve gente que não agüentou o tempo de espera e desistiu.Foi o caso do operador de telemarketing da operadora de telefonia celular ATL e estudante de Letras, Márcio Ribeiro, que ficou dez minutos na fila da agência da Caixa, no Centro, onde quatro funcionários atendiam aos interessados."Eu quero aplicar 50% do meu FGTS, mas estudo em Piedade (Zona Norte), venho de trem ou de ônibus para o Centro e pego o Metrô para o trabalho em Botafogo (Zona Sul). Só tenho 20 minutos para ficar na fila", reclamou, contando ter deixado de investir o FGTS na Petrobras, em agosto de 2000, por causa das filas.Vários bancos oferecem o investimento, cada um com taxas de administração e exigências diferentes. Para fazer a aplicação nas agências da Caixa Econômica Federal, é preciso levar cópias da identidade, do CPF e de comprovante de residência, além do extrato das contas do FGTS, que pode ser conseguido na própria Caixa com o PIS ou a carteira de trabalho.O técnico em segurança do trabalho Luiz Fernando Costa lembrou a conjuntura internacional ao falar do investimento: "Apesar de os Estados Unidos boicotarem o nosso aço, espero que a Vale dê um bom rendimento." Ele tem duas contas ativas e ia aplicar 50% de uma delas: "Vou usar o dinheiro da conta que tem menos recursos, para reduzir o risco".O funcionário do Departamento Nacional de Estradas e Rodagem (DNER), Carlos Alberto Knopp, que não tem FGTS, foi investir R$ 3 mil em dinheiro. "Ações sempre envolvem risco, mas acho que a Vale vai ser uma boa aplicação", disse, satisfeito pelo investimento que fez na Petrobras."Mas o fato de o desconto na Vale ser só de 5%, enquanto o da Petrobras foi de 20%, deixa a gente com um pouco de insegurança, e aí tem que aplicar pouco."O consultor Fábio Cardoso, da Advinvest Consultoria e Administração desaconselha o investimento de uma grande parcela de recursos no Fundo. "Não se deve aplicar 50% do FGTS de jeito nenhum. Normalmente isso é uma parcela muito significativa do patrimônio dos trabalhadores, que podem precisar desse dinheiro e não acompanham diariamente o mercado de ações."De acordo com Cardoso, "o desconto de 20% na operação da Petrobras protegia o investidor contra eventuais quedas, mas 5% correspondem a dois ou três dias de queda na bolsa (de valores). Este é um ano eleitoral, ninguém sabe o que vai acontecer. Desconto de 5% só não é hedge (proteção)", afirmou.O gráfico da evolução das cotações das ações da Vale do Rio Doce, diz, mostram que elas já estão altas e "muito próximas do topo, ou seja, podem não subir muito e até cair".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.