Prazo para entrega da declaração de isento termina 4ª

Termina na próxima quarta-feira o prazo para entrega da Declaração de Isento. A Receita Federal alerta que 12 milhões de contribuintes ainda não entregaram o documento. Estão sendo aguardadas 60 milhões de declarações este ano. Todas as pessoas que tiveram rendimento inferior a R$ 12,696 mil em 2004 estão obrigadas a entregarem o documento. Quem não cumprir os prazos, pode ficar com o CPF pendente ou suspenso. Estão dispensados de apresentar o documento: pessoa física cujo CPF tenha sido informado como dependente ou cônjuge na Declaração de Ajuste Anual e os inscritos no CPF este ano. O supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir, disse acreditar que a previsão da Receita será atingida, já que muitas pessoas preferem deixar para fazer a declaração nos últimos dias. No ano passado, esse foi o caso de 10 milhões de contribuintes. Os locais de entrega são as casas lotéricas, as agências dos Correios e do Banco Popular do Brasil, o Banco do Brasil para quem é correntista, além da Internet. O endereço é www.receita.fazenda.gov.br. O envio por meio eletrônico é gratuito. Nas agências dos Correios, o preço do formulário é de R$ 2,40 e nos demais locais, de R$ 1,00. Os correspondentes bancários da Caixa Econômica Federal nos municípios - Caixa Aqui - também foram credenciados este ano. Balanço No ano passado, a Receita Federal recebeu 57 milhões de declarações. Desse total, mais de 29 milhões foram entregues em agências lotéricas. A Internet foi usada por 22 milhões de contribuintes e as agências dos Correios, por 4 milhões. As pessoas que não entregarem a declaração de isento por 2 anos consecutivos terão os CPFs suspensos. No ano passado, 15,550 milhões de contribuintes deixaram de fazer a atualização cadastral com a Receita e estão com os CPFs pendentes. Isso significa que, se não regularizarem a situação este ano, terão o documento suspenso. Como regularizar a situação Por outro lado, para quem estiver com a situação irregular basta apresentar a declaração de isento, este ano, para poder voltar a usar o CPF. Após o prazo de entrega do documento, para regularizar a situação, o contribuinte terá que procurar uma agência do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal ou dos Correios. A taxa cobrada é de R$ 4,50 até o fim do ano e será reajustada para R$ 5,50 a partir de janeiro. O cancelamento definitivo do CPF só acontece em caso de óbito do contribuinte ou duplicidade de documento. Atualmente, 153,2 milhões de pessoas estão inscritas no CPF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.