Prazo para produção não está definido, mas investimento é alto

Petrobras anunciou descoberta de reserva de petróleo de boa qualidade e gás abaixo da camada de sal

Cláudia Ribeiro, do Estadão.com.br,

08 de novembro de 2007 | 16h40

Ainda não há uma estimativa de quanto tempo a nova reserva anunciada nesta quinta-feira pela Petrobras vá efetivamente produzir. A certeza que se tem, por enquanto, é que a qualidade do óleo encontrado é mais elevada e o investimento para a produção também deve ser alto.   "A princípio serão necessários equipamentos e plataforma para extrair. Considerando que o local onde está esta reserva fica em alto-mar e o petróleo está a aproximadamente seis quilômetros de profundidade, o investimento para a produção deve ser alto", disse Bruno Selvaggi, analista da Tendências Consultoria.   Veja também: Colunista Celso Ming explica a descoberta da Petrobras  Com descoberta, ações da Petrobras disparam mais de 10%  A exploração de petróleo no Brasil Entenda a crise dos combustíveis e o corte de gás Histórico da crise O mercado de gás no Brasil Preço do petróleo em alta     A Petrobras anunciou a descoberta de uma reserva de cinco bilhões a oito bilhões de barris de petróleo de boa qualidade e gás abaixo da camada de sal. A conclusão é resultado dos testes que foram feitos em um poço na área Tupi, localizada na bacia de Santos. Atualmente, o total de reservas da Petrobras soma em torno de 13 bilhões de barris. Ou seja, a nova descoberta pode representar um aumento de 50% nas reservas atuais. A Petrobras é operadora da área com 65% do capital, em parceria com a britânica BG Group, que detém 25%, e a portuguesa Petrogal/Galp, com 10%.   Já o analista da Ágora Corretora de Valores, Luiz Otavio Broad Acatauassú Nunes, observou que o processo para que esse petróleo descoberto seja quantificado exatamente, auditado e considerado reserva deve se desenrolar aos poucos deste ano até 2009. Segundo ele, a descoberta de petróleo leve da Petrobras "é excepcional".   A boa qualidade do óleo foi o que chamou a atenção de Selvaggi. Segundo ele, isso fará com que o País gaste menos para refinar o produto e, com isso, o ganho da Petrobras deve ser maior. "O custo para exportar o produto vai cair", disse. O preço no mercado interno, contudo, não deve ser alterado, já que o valor do barril segue o movimento das cotações no mercado internacional.   O óleo encontrado no local tem 28 graus API, considerado de melhor qualidade comercial do que a média do petróleo encontrado no Brasil. Quanto mais próximo de 50 graus API mais leve é o óleo e portanto mais fácil de refinar.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasPetróleoEnergia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.