Palo Whitaker/ REUTERS
Palo Whitaker/ REUTERS

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Prazo para reserva de debêntures da Petrobrás isentas de IR termina hoje

Investimento mínimo é de R$ 10 mil; papéis terão vencimento em 2029 e em 2034 e serão reajustados por porcentual acrescido da inflação do período e por CDI

Ana Luiza de Carvalho, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2019 | 10h57
Atualizado 24 de setembro de 2019 | 11h55

Acaba nesta terça-feira, 24, o prazo para reserva de debêntures da Petrobrás. Dois dos papéis são da modalidade incentivada ou isenta, em que não incide cobrança de Imposto de Renda (IR).  A liquidação financeira da compra será realizada no dia 9 de outubro e o valor total das operações deve chegar a R$ 3 bilhões.

O valor mínimo para investimento é de R$ 10 mil, custo para um lote de dez debêntures ao preço de R$ 1 mil cada uma. A instituição financeira responsável pela emissão é o banco Bradesco.

Para participar das ofertas, é preciso ter conta em uma corretora de valores. Confira as características das debêntures da Petrobrás, ambas com pagamento de juros semestrais:

  • Vencimento em setembro de 2029: Juros da NTN-B 2030 acrescido de 0,1% ou IPCA + 3,5% ao ano, o que for maior
  • Vencimento em setembro de 2034: Juros da NTNB 2035 acrescido de 0,25% ou IPCA + 3,9% ao ano, o que for maior

A terceira modalidade é de debêntures para vencimento em sete anos, sem incentivo fiscal, com rentabilidade de 107% do juro DI. Atualmente, o porcentual representa cerca de 6,50% ao ano.

Debêntures da Petrobrás

No final de agosto, a negociação de debêntures da Petrobrás foi suspensa por 30 dias pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) após a diretora de relações com investidores da estatal, Andrea Almeida, dar uma entrevista ao canal da XP Investimentos no Youtube durante o chamado período de silêncio. De acordo com as regras da CVM, os envolvidos na negociação não podem dar quaisquer declarações à mídia enquanto ainda estiver em curso o período de compra das debêntures. No último dia 12, acabou a restrição da CVM e as debêntures da Petrobrás voltaram a ser negociadas no mercado.

O processo de expansão da empresa no mercado de investimentos neste ano foi marcada também pela maior emissão de dividendos da história, que chegou a pagar R$ 30 milhões para acionistas.

O que são debêntures

As debêntures são uma forma de investimento em renda fixa privada em que uma empresa emite títulos de dívida para financiar projetos de expansão ou pagar débitos. Em troca, os compradores dos títulos recebem uma remuneração em juros.

O principal risco dessa modalidade de investimento é o risco de mercado, ou seja, da empresa não arcar com seus compromissos. As debêntures não contam com cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) ou qualquer outra garantia do governo.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrásdebêntures

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.