Pré-datado: devolução aumenta com prazo maior

A possibilidade de um cheque pré-datado ser devolvido aumenta exponencialmente em relação ao cheque à vista na medida que os prazos se alongam. A conclusão é de um estudo realizado pela Serasa com base em 1,5 milhão de cheques pré-datados emitidos entre fevereiro de 2000 e fevereiro de 2001 em todo o País. Segundo a pesquisa, a probabilidade de um cheque à vista ser devolvido é de 0,22%. Esse risco de devolução sobe para 3,17% em cheques de 61 a 90 dias e salta para 10,34% nos pré-datados com prazo superior a 180 dias, índice 47 vezes maior que o encontrado nos cheques à vista.De acordo com o estudo, houve um alongamento nos prazos de recebimento de cheques pré-datados. Em fevereiro de 2000, o prazo máximo situava-se entre 91 e 120 dias; no mesmo mês de 2001, há prazos superiores a 180 dias.Desde janeiro do ano passado, as estatísticas vêm apontando um aumento da inadimplência. Na opinião do presidente da Serasa, Elcio Anibal de Lucca, um dos motivos mais fortes para esse avanço nas estatísticas é o alongamento dos prazos de pagamentos que ocorreu nos últimos meses no comércio. Lucca avalia que o aumento da inadimplência pode ser atribuído a uma parte dos lojistas, que não usam metodologias adequadas de análise de crédito. Outro motivo é que o consumidor não planeja o seu orçamento e acaba não conseguindo pagar o que deve.Veja no link abaixo dicas de como economizar no orçamento doméstico.

Agencia Estado,

12 de abril de 2001 | 16h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.