Pré-sal atrai também o ramo de resseguros

O pré-sal brasileiro vem atiçando o mercado internacional de resseguros e atraindo para o Brasil novas empresas de olho num potencial de mercado que deve crescer este ano 15% sobre 2010, quando foram movimentados R$ 4,7 bilhões em prêmios, segundo a Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg)).

RIO , O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2011 | 03h06

Até 2014 o crescimento esperado é de 50% entre as 93 empresas que atuam no país. Somente considerando os investimentos de US$ 224 bilhões que a Petrobrás planeja até 2015 (US$ 53 bilhões no pré-sal) a dimensão dos negócios gerados no campo das seguradoras pode extrapolar quaisquer projeções, uma vez que cada plataforma a ser instalada tem custo estimado, e a ser segurado, em torno de US$ 1 bilhão.

Dono de uma fatia de 60% do mercado, o Instituto de Resseguros do Brasil (IRB) acompanha o crescimento do setor com entusiasmo. De acordo com IRB, somente o segmento de Riscos de Petróleo no Brasil, que engloba apenas as coberturas para atender às fases de produção e exploração da cadeia de petróleo, movimentou em 2011, até julho, um volume de prêmio de cerca de R$ 290 milhões (quase 100% a mais do que o movimentado em todo o ano passado).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.