Precificação de matérias-primas será mensal, prevê executivo da BHP

As mineradoras passaram a adotar, a partir de abril passado, o sistema de contratos trimestral, em vez do sistema anual, utilizado como referência durante décadas

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

30 de setembro de 2010 | 12h27

A precificação de matérias-primas para a siderurgia, como o minério de ferro e o carvão coque, mudará eventualmente para um sistema mensal, afirmou o presidente de comercialização da mineradora anglo-australiana BHP Billiton, Mike Henry.

"Isso já está acontecendo de um certo modo", disse o executivo durante o seminário da Steel Business Briefing, agência especializada no setor de siderurgia e mineração.

Henry se recusou a fornecer uma data para a mudança, mas afirmou que os preços do minério de ferro e do carvão coque vão se mover na direção de uma precificação spot mensal como outras matérias-primas, que a mineradora já comercializa.

"Nós acreditamos que haverá um progresso contínuo para o contrato mensal de preços", declarou o executivo.

As mineradoras passaram a adotar, a partir de abril passado, o sistema de contratos trimestral, em vez do sistema anual, utilizado como referência durante décadas.

Henry também disse que a BHP Billiton prevê que a produção de aço mundial aumentará para 2,4 bilhões de toneladas até 2025, com China e a Índia respondendo por cerca da metade desse volume.

Segundo o executivo, a urbanização contínua das economias emergentes conduzirá o crescimento da produção de aço no mundo.

A mineradora prevê que a Índia estará produzindo 190 milhões de toneladas até 2025, enquanto a produção da China dobrará para 1,1 bilhão de toneladas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.