Precisamos influenciar expectativas, diz membro do BoJ

A integrante do Comitê de Política Monetária do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) Sayuri Shirai afirmou que atingir a meta de inflação de 2% é desafiador, e que para isso o BoJ precisa influenciar as expectativas.

AE, Agencia Estado

27 de novembro de 2013 | 05h36

Em discurso, postado no site do BoJ, Sayuri afirmou que aparentemente algumas pessoas e alguns participantes do mercado se sentem incertos sobre a importância de atingir a meta de inflação, bem como as intenções do BoJ.

Para ela, ganhar a simpatia do público é "fundamental" para atingir com sucesso a meta de 2%. "Melhorar a leitura dos documentos oficiais do BoJ - incluindo o Relatório de Projeções - é um dos primeiros passos para aumentar o número de leitores e ganhar o apoio deles para apoiar a condução da política monetária pelo BoJ", afirmou.

Dito isso, Sayuri reforçou que fará o melhor para perseguir uma comunicação mais eficiente pelo banco. A integrante do BoJ também afirmou que as condições atuais da economia não exigem novos estímulos.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoBoJinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.