Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Preço da cesta básica aumenta em abril

O preço da cesta básica aumentou em abril, na comparação com o mês anterior, em 15 das 16 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). De acordo com levantamento, divulgado nesta sexta-feira pela instituição, os aumentos no valor do conjunto de produtos alimentícios essenciais foram significativos e superaram 5% em cinco localidades: Recife, com 7,15%; Florianópolis, com 6,70%; Curitiba, com 6,58%; Natal, com 6,56%; e Belém, com 5,37%.No mês passado, apenas em Brasília houve queda no preço do conjunto de produtos, de 2,52%. Em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, foram constatadas altas de 3,20%; 4,13% e 3,18%, respectivamente.Porém, no primeiro quadrimestre de 2006, apenas quatro capitais acumularam elevação no custo da cesta básica: Natal, com 3,69%; Goiânia, com 3,12%; Salvador, com 2,66%; e Recife, com 1,92%. Nas outras 12 localidades pesquisadas, o Dieese apurou variações negativas, que se situaram entre 0,26%, em São Paulo, e 10,16%, em Porto Alegre.Entre abril de 2005 e o mesmo mês de 2006, apenas seis cidades apresentam variação acumulada negativa, as mais significativas apuradas em Porto Alegre, com queda de 6,16%; e Fortaleza, com retração de 5,49%. Salvador, com 6,27%; Recife, com 5,38%; e João Pessoa, com 5,08% registraram os aumentos mais expressivos. As cestas do Rio de Janeiro, São Paulo e de Brasília apresentaram, no mesmo período, variações acumuladas de 3,19%, 1,12% e -1,48%, respectivamente.Tomate é o grande vilãoNa avaliação do Dieese, o comportamento de alta da cesta básica foi motivado pelas elevações de preços do açúcar, da banana e, principalmente, do tomate. Segundo a instituição, desde março, o tomate apresenta tendência de alta, e, em abril, o preço avançou em 15 capitais, com variações superiores a 50% em cinco cidades: Florianópolis, com 97,20%; Rio de Janeiro, com 85,95%; Recife, com 85,56%; Curitiba, com 76,86%; e João Pessoa, com 57,29%. A menor elevação ocorreu em Goiânia, onde a fruta ficou 18,55% mais cara. A única queda foi apurada em Fortaleza, onde o tomate teve desvalorização de 2%.Em comparação com abril de 2005, o tomate está mais caro em 11 localidades. Os maiores aumentos foram observados no Rio de Janeiro, com 27,12%; Florianópolis, com 20,57%; e Brasília, com 20,24%. Em cinco cidades o preço recuou: Fortaleza, com 21,60%; Goiânia, com 17,42%; e Porto Alegre, com 15,33%; registraram as variações negativas mais significativas. O Dieese destacou, porém, que o elevado nível de preços atingido pelo produto em abril "não deve se sustentar por mais tempo".CarneSegundo a pesquisa, o principal produto que registrou, predominantemente, diminuição no preço, em abril, foi a carne, com queda em 12 capitais ante março. As retrações mais expressivas ocorreram em Brasília, com 12,06%; Rio de Janeiro, com 5,80%; e Recife, com 5,31%. Quatro outras localidades apresentaram alta: Curitiba, com 2,76%; Goiânia, com 1,53%; Belém, com 1,49%; e Salvador, com 1,01%.O Dieese realizou a Pesquisa Nacional da Cesta Básica nas cidades de Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória.

Agencia Estado,

05 de maio de 2006 | 15h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.