Preço da cesta básica cai em 11 capitais em fevereiro

De acordo com levantamento do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos ), o preço da cesta básica aferido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos caiu em fevereiro em 11 das 16 capitais que fazem parte da pesquisa mensal do departamento. Em três localidades, todas da região Nordeste, ocorreram altas significativas: Recife (2,87%), João Pessoa (2,86%) e Fortaleza (2,49%). As principais quedas verificaram-se no Rio de Janeiro (-2,98%), Florianópolis (-2,64%) e São Paulo (-2,36%). Mesmo com retração no preço total da cesta de 1,59%, Porto Alegre continuou a ter o maior valor para o conjunto de gêneros essenciais, com os treze produtos custando R$ 169,32. Em São Paulo, o custo ficou em R$ 167,00 e, em Brasília, em R$ 164,77. As cestas mais baratas foram encontradas em Fortaleza (R$ 139,17) e Natal (R$ 139,42). Em Curitiba, a variação do preço da cesta básica nos dois primeiros meses de 2004 foi negativa, ficando em -0,86%. Devido aos fortes aumentos apurados, principalmente, em janeiro, a alta acumulada em dois meses nas capitais do Nordeste é expressiva e, em cinco localidades, supera 8,0%. São elas: Salvador (9,84%); João Pessoa (9,63%), Fortaleza (8,95%), Natal (8,32%) e Recife (8,19%). As variações acumuladas em doze meses de março de 2003 a fevereiro de 2004 de duas localidades foram negativas: Florianópolis (-3,65%) e Curitiba (-0,27%). Os aumentos mais significativos ocorreram em Salvador (6,64%) e João Pessoa (6,57%). Estabilidade Ao contrário do que ocorreu em janeiro, quando um único item (o tomate) teve grande influência na alta da cesta básica, em fevereiro os bens que a compõem apresentaram, de forma geral, comportamento bem mais estável. Para tal desempenho, segundo o Dieese, contribuiu o fato de fevereiro ser época de safra de muitos produtos e o clima ter se apresentado, até agora, favorável para a agricultura. Apesar da estabilidade, um dos produtos que tiveram aumento na maior parte das capitais foi o café que subiu em quinze localidades, com os principais aumentos verificando-se em Vitória (9,74%), Goiânia (8,43%) e Porto Alegre (7,65%). Somente em Belo Horizonte houve redução (-0,39%). Nos últimos doze meses, o café também apresentou alta em quinze capitais com destaque para a variação apurada em Belo Horizonte (24,58%) e redução apenas em Belém (-4,44%).

Agencia Estado,

03 Março 2004 | 14h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.